12 dezembro, 2010

Lá vem o “Aerodilma”…


Caro e luxoso. Assim será o avião da Presidente Dilma

Do alto de sua popularidade estratosférica, o Presidente Lula acredita que basta dar uma declaração irônica, e às vezes estúpida, para dirimir as denúncias de irregularidades ou abusos de sua administração. Vimos isso muito claramente durante as eleições desse ano. E agora, mais uma vez, Lula sai em defesa do indefensável: a compra de um novo avião para a Presidência da República.

A administração petista cogita a compra baseando-se no argumento de que o atual modelo em uso, um Airbus A319 que nos custou mais de US$ 56 milhões, já está velho e não atende mais as necessidades da nossa Presidência. Lula, já se prontificando em destilar suas asneiras prepotentes, disse "que o Brasil não pode mais passar pela humilhação de usar um avião velho e que não tem autonomia para longas viagens sem parar para abastecer".

Foi pensando nesses argumentos do nosso querido Presidente que decidi fizer uma lista com 10 fatos que (esses sim) fazem o Brasil passar por situações humilhantes perante a comunidade internacional.
 

1)
A taxa de mortalidade infantil no Brasil está entre as mais altas do mundo, com 23,6 mortes a cada 1000 nascimentos, muito acima de países como Cuba (6/mil), Chile (13/mil) e Costa Rica (9,01/mil).

2)
O Brasil não atingiu suas próprias metas de melhoria dos índices da educação para 2010. Para o analfabetismo o Governo Federal queria uma taxa de 4%, alinhado aos índices dos países da OCDE (organização que reúne os países mais desenvolvidos), mas ficamos em 10%. O mesmo aconteceu com a meta de matrículas no Ensino Superior. O Governo esperava alcançar 30% em 2010, mas deveremos nos contentar com míseros 13,7% (contra 39% dos países da OCDE).

3)
Mais de 65% das estradas federais são consideradas precárias. E com essa infraestrutura viária digna de país africano temos um aumento de pelo menos 30% nos custos do transporte. E sabe de quem isso é cobrado? Dos consumidores finais, claro. Enquanto isso, Lula e o PT tentam a qualquer custo nos convencer de que precisamos urgentemente de um trem-bala fantasioso que consumirá mais de R$ 60 bilhões.

4)
E por falar em infraestrutura, outro grande problema dessa área está nos aeroportos. A Infraero, empresa do Governo Federal que administra 67 aeroportos no país, investiu somente 22% do tão prometido R$ 1,6 bilhão para 2010. Foram desembolsados míseros R$ 358 milhões num país que está às vésperas de sediar a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. E acredito que não preciso falar quais são as consequências disso. Todos que leem jornais ou tem o avião como transporte sabem muito bem qual é a situação dos nossos aeroportos.

5)
Um país que deseja atingir o grau de desenvolvimento teve em 2010 um aumento de 90% nas mortes causadas pela dengue, uma doença típica do terceiro mundo.

6)
Em um de seus discursos o Presidente Lula defendeu a alta carga tributária brasileira, uma das mais altas do mundo. Porém, o que ele esqueceu de mencionar é que uma família que receba até 2 salários mínimos entrega em forma de impostos para o Governo mais de 45% do seu rendimento. Tal irracionalidade já criou situações como a declaração de Steve Jobs dizendo que não pretende abrir no Brasil a loja oficial de sua empresa, a Apple, devido à péssima política tributária que impera em nosso país. Podemos culpá-lo?

7)
Em 2009 a violência no Brasil foi a principal causa de 60,29% das mortes de jovens entre 15 e 19 anos. Já entre os jovens de 20 a 24 anos a taxa passa para 61,29%. E entre aqueles de 25 a 29 anos a taxa fica em 52,71%.

8)
De acordo com a AGU (Advocacia Geral da União), apenas em 2010 mais de R$ 2,5 bilhões foram desviados pela corrupção no Brasil. Dinheiro esse que contribuiria com melhorias para a vida da população simplesmente evaporou no caminho tortuoso entre as mãos (e bolsos) de nossos políticos.

9)
O país das propagandas oficiais mostrando um mundo de fantasia, onde as pessoas estão sempre felizes, a economia está ótima e a pobreza é inexistente é o mesmo país do Maranhão, eterno curral eleitoral da família Sarney, onde, segundo o IBGE, 64,6% da população está à beira da fome.

10)
O país que almeja a relevância internacional deu abrigo ao terrorista Cesare Battisti, condenado pela Justiça italiana, baseando-se em conceitos ideológicos ultrapassados, configurando total irresponsabilidade diplomática. O país que diz ser um reduto de liberdade e democracia é o mesmo que abraça ditadores tapuias e trapalhões como Hugo Chávez, e sanguinarios como Mahmoud Ahmadinejad.


Agora que você leu os 10 motivos que fazem o Brasil ser humilhado lá fora, gostaria que pensasse um pouco nas palavras do nosso Presidente e me dissesse se são realmente válidos os argumentos que ele nos deu para a compra desse avião milionário.

E enquanto nosso Presidente acha humilhante fazer escalas para reabastecer seu aviãozinho, milhões de brasileiros sofrem calados no transporte público caótico e caro, muito longe do requinte aéreo bancado com nosso dinheiro.

30 novembro, 2010

O fim do sonho americano

Os Estados Unidos travam uma grande batalha contra seus mais de 11 milhões de imigrantes ilegais. São pessoas que escolheram a casa do Tio Sam em busca do "sonho americano", das grandes oportunidades, levando em suas malas diferentes culturas, crenças e costumes. Como lidar com todas essas diferenças no país que deixou de ser a terra da liberdade para virar um hospício xenófobo?

Os atentados de 11 de setembro afloraram ainda mais a paranóia americana contra tudo o que não se encaixa nos valores estabelecidos pelo "jeito americano de viver". Pensamentos, atitudes e costumes árabes deixaram de ser vistos com os olhos da razão para serem tratados subjetivamente como ameaça à segurança nacional. Seria essa a atitude do país que se autodenomina o "líder do mundo livre"?

E o que dizer daqueles que sonham em se tornar cidadãos americanos, mas que ainda cultivam crenças medievais que vão contra as crenças americanas?

O filme "Território Restrito" ("Crossing Over"), dirigido por Wayne Kramer, mostra um pouco dos grandes problemas da imigração ilegal nos Estados Unidos, e como Governo e população lidam com esse assunto. Com inúmeros personagens representando diferentes nacionalidades, cada um com seu motivo para a busca do "sonho americano", o filme tem Harrison Ford como o agente do departamento de imigração, e Alice Braga, sobrinha de Sônia Braga, numa pequena aparição, mas interpretando o personagem com maior relevância na história.

Ao assistirem "Território Restrito" muitos lembrarão de filmes como "Babel" e "Crash", também baseados em diversos personagens interligados pelo mesmo tema. Mas não por isso deixa de ser um bom filme, seja pelos atores, ou pela história, que para alguns é cansativa, mas que para outros é esclarecedora. O que conta aqui é saber um pouco mais sobre como os americanos lidam com o "diferente" e o que vale a pena fazer para conquistar o tão sonhado Green Card.



27 novembro, 2010

Chega de Casseta!

Depois de quase 20 anos sairá do ar um dos programas mais longos, entediantes e sem graça da TV brasileira. Estou falando do totalmente dispensável "Casseta & Planeta" (TV Globo), que teve seu fim anunciado ontem (26) pela emissora carioca.


A TV Globo afirma que a descontinuação de um de seus principais programas não foi uma decisão de sua diretoria. "É uma decisão dos humoristas", disse ela. Mas se olharmos com um pouco mais de atenção veremos que tudo indicava que "Casseta & Planeta" não merecia mais fazer parte do horário nobre da TV aberta. A começar pela qualidade. Há muito se sabe que os cassetas causam mais bocejos do que risadas. Suas piadas ficaram velhas e os quadros e paródias das novelas da emissora eram mais do que previsíveis. Não houve novidades, transgressões, preocupação em se reinventar ou em fazer experimentações. A trupe entrou numa zona de conforto profunda e sem volta. O resultado foi uma audiência estagnada e insatisfeita, chegando a amargar míseros 20 pontos de média, considerado insatisfatório para o horário nobre, e humilhante para os humoristas, levando-se em conta as médias conquistadas pelo programa em anos anteriores.


Dizem que o humor na TV aberta precisa ser escrachado, estereotipado, sem qualquer preocupação com a boa produção e o bom roteiro (aqui podemos lembrar de programas como "Toma Lá Dá Cá", "Sai de Baixo", "A Diarista", entre outros) para atingir o cidadão comum. Mas o que vimos nos últimos anos foi caindo por terra a teoria do telespectador que aceita qualquer coisa que lhe ofereçam. Cada vez mais os telespectadores buscam programas de humor esperando mais do que um homem vestido de mulher em situações absurdas, personagens estereotipados sem qualquer propósito, ou frases de efeito repetidas programa após programa. Com o advento da Internet e da TV por assinatura com suas séries e programas de humor estrangeiros, hoje o telespectador tem à sua disposição infinitas possibilidades de encontrar aquilo que melhor lhe agrada. E com mais informação é natural passar a exigir mais daquilo que lhe é oferecido. Afinal, chega uma hora em que se torna cansativo tantos programas que trazem um humor que nos trata como meros receptores sem senso crítico e sem capacidade de raciocínio.


Podemos afirmar que "Casseta & Planeta" chegou perto de se tornar um "A Praça É Nossa" da TV Globo. O que diferencia as duas atrações é a humildade dos cassetas em reconhecer que precisavam de uma grande mudança para não cairem no esquecimento. E essa mudança virá já em 2011, como afirmaram os humoristas. Eles aproveitarão suas férias estendidas para repensar um novo formato, dessa vez mais adequado à realidade do que o telespectador deseja. Assim, ganhamos todos. Eles continuam no ar, e nós ganhamos mais uma opção de entretenimento. E dessa vez esperamos que tenha mais qualidade.

22 novembro, 2010

Os amigos não estavam lá por ele


O país inteiro está chocado após a divulgação das imagens da câmera de segurança que captou o momento exato da agressão contra um jovem gay ocorrida na Avenida Paulista no último dia 15, praticada por outros também jovens com clara falta de ocupação, pais omissos e fortes tendências à homossexualidade enrustida (me desculpem, mas todos aqueles que optam pela agressão a homossexuais de forma gratuita tem SIM um pezinho no lado GLS, mas que teimam em esconder).

As cenas são realmente aterradoras e revoltantes, mas outra coisa chamou minha atenção, e que para mim é igualmente revoltante: a insensibilidade dos dois amigos que acompanhavam o jovem agredido covardemente. Vendo o amigo ser espancado, eles apenas continuam andando, ignorando o amigo que precisava de socorro. E no vídeo vemos eles parando e observando, como se o que estava acontecendo fosse algo corriqueiro, sem qualquer gravidade. Lá parados pareciam estar pensando "Não é com a gente mesmo... Quando terminarem, arrastamos o corpo para o metrô". Nem ao menos esboçam preocupação em buscar ajuda, ligar para a polícia, ou até mesmo partir para a briga em defesa do pobre coitado. Simplesmente ignoraram o fato de que eles também poderiam ter sido escolhidos pelos agressores, e que se isso acontecesse, eles torceriam para que seus amigos os ajudassem.

Por mais que o momento fosse de total perplexidade e espanto com a agressão gratuita, o mínimo que se espera seja o apoio dos amigos em situações adversas. Afinal, amigos são aqueles que estarão sempre ao seu lado, não importa o quão grave seja o momento. E naquelas imagens o que vi foram dois covardes que são tão culpados quanto os agressores. Omissão é um grande erro. E a omissão quando um amigo necessita de ajuda é um erro maior ainda, sem espaço para justificativas.

09 novembro, 2010

ET Bilu e o jornalismo verdade


Um dos assuntos mais comentados do ano está sendo o ET Bilu, uma fantasia criada por Urandir Fernandes de Oliveira, o famoso [autodenominado] paranormal que fez fama indo a programas popularescos da TV aberta para entortar garfos e facas e fazer alguns truques de mágica chamados por ele de "paranormalidade".

O suposto ET ficou famoso após uma longa reportagem exibida no programa "Domingo Espetacular" (TV Record) mostrando os mistérios e projetos desenvolvidos em Ziguratis, uma comunidade utópica cravada numa cidadezinha de Mato Grosso do Sul que tem por objetivo "construir uma nova forma de pensamento mundial", de acordo com texto publicado no site oficial de Urandir.

A reportagem mostrou o que seria o grande golpe da vida de Urandir, que vende terrenos em troca de salvação pelos alienígenas que mantém contato com ele. A própria Ziguratis, segundo Urandir, foi projetada por seres de outro planeta para que alguns seres humanos saiam ilesos após o grande apocalipse que está por vir (mediante o pagamento de uma pequena fortuna em troca do direito de construir uma casa no local).

Para atrair turistas e possíveis compradores de terrenos, Urandir disponibilizou na comunidade diversos entretenimentos, transformando o local em um verdadeiro parque de diversões intergaláctico. De túneis que dão acesso a cidades alienígenas subterrâneas, centrais de monitoramento espacial a aparições de OVNIS, ETs e luzes no meio da mata, tudo é feito para que os incautos se impressionem com o quanto Urandir é íntimo dos seres do espaço.

O ápice do tour intergaláctico acontece com a aparição do já pop Bilu, um "intraterreno" (Urandir explica que no subsolo da terra há enormes colônias de alienígenas, daí o "intraterreno") com 4010 anos, e que veio ao planeta Terra auxiliar os seres humanos na busca pelo conhecimento e salvação do fim do mundo. E ele sempre vem à superfície para trazer ensinamentos para mudar o mundo. Seu ensinamento mais famoso, dito para as câmeras da TV Record, é o "Busquem conhecimento", seja lá o que isso significa.

Agora circula pela rede um vídeo divulgado pelos simpatizantes de Urandir mostrando o que seriam trechos da reportagem que não foram levados ao ar pela emissora que mostrariam que Bilu é realmente um alienígena no meio de nós.

O lema do jornalismo da TV Record é "Jornalismo Verdade". A julgar por essa e outras reportagens que beiram o bizarro e o escroto, algumas não passando do mais puro sensacionalismo, a emissora do bispo mostra que esqueceu de aprender que audiência também pode ser conquistada pela qualidade, pela seriedade e honestidade. Optando pelo caminho contrário a TV Record decide por seguir uma fórmula cansada, errática e que, mesmo dando alguns pontos de audiência a mais agora, cobrará um enorme preço num futuro próximo. Então é bom o bispo começar as orações, pois até o momento a única coisa que a TV Record conseguiu foi virar motivo de piadas.

06 novembro, 2010

Aprenda geografia com James Bond


Metade no mundo vê um Brasil cheio de estereótipos, onde as únicas coisas que existem por aqui são negros, florestas, samba e Rio de Janeiro. E nada melhor do que filmes para perpetuarem essa imagem.
Acabo de assistir "007 Contra o Foguete da Morte" ("Moonraker"), de 1979, o 11º do agente secreto mais famoso do cinema, dirigido por Lewis Gilbert (que também dirigiu outros dois filmes da série). Dessa vez James Bond (Roger Moore) precisa impedir o vilão bem malvado e multimilionário (eles são sempre assim...) Hugo Drax de levar a cabo seu plano maligno de exterminar a raça humana. E essa busca, quem diria, leva o agente a serviço da rainha a desembarcar no Brasil.
O tour começa pelo Rio de Janeiro. Para onde a câmera aponta há pessoas fantasiadas e sambando. Parece que todo mundo anda pulando de alegria e felicidade no ritmo contagiante do samba. É a cidade do carnaval, onde ninguém faz mais nada a não ser... sambar!
Com seus planos na terra do carnaval eterno não saindo como o planejado, James Bond vai de encontro ao seu chefe vestindo um lindo modelito "México encontra Rio Grande do Sul", e recebe instruções de partir imediatamente para o outro lado do Brasil que os estrangeiros conhecem, o "Norte do Amazoco" (sim, é exatamente assim que falam no filme), para continuar tentando impedir que o malvado multimilionário conclua suas maldades de higienização do planeta.
E em meio à fuga dos capangas do vilão pelos rios do "Amazoco", Bond se depara com... as cataratas do Iguaçu (!). Momento de apreensão... medo... O que ele vai fazer agora...? Mas, como sempre, o agente secreto tinha uma carta na manga e consegue sair dessa enrascada voando direto para o meio da mata, onde acaba encontrando uma... pirâmide maia (!).
Está achando essa miscelânea bizarra? Então espere até ver James Bond partindo da floresta amazônica direto para o espaço sideral. E o que combina com espaço sideral? Roupas prateadas e douradas e armas de raios laser, tudo no mais puro ritmo de "Guerra nas Estrelas".
Enfim, "007 Contra o Foguete da Morte" é um completo amontoado de bobagens e limitações intelectuais. É sem dúvida um dos piores filmes da série de James Bond. E muitos vão dizer que é assim mesmo, que filmes de ação não devem seguir a realidade, numa espécie de "licença poética" do cinema. Mas lembre-se que há uma enorme diferença entre "ficção" e "avacalhação".

22 outubro, 2010

Lixo eletrônico no lugar certo


Você tem em sua casa aquele computador velho que não serve para mais nada além de juntar poeira e ocupar espaço na garagem? Sacos cheios de pilhas e baterias que não podem mais ser usadas? Celulares que saíram de moda e que você não quer mais usar? CDs e DVDs que já enjoaram? Pois lembre-se que todas essas coisas, conhecidas como "lixo eletrônico", não podem ser descartadas no lixo comum por trazerem alto risco de contaminação do meio ambiente. Então, o que fazer? Onde encontrar locais adequados para o descarte?

Foi pensando na dificuldade que as pessoas tem em encontrar estabelecimentos que deem o destino correto ao lixo eletrônico que a Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com o Instituto Sérgio Mota, criou o e-Lixo Maps, um grande banco de dados atrelado ao Google Maps que mostra onde estão os mais de 100 pontos de coleta espalhados pela Capital e em 372 municípios do nosso Estado. Basta digitar o CEP da sua residência que o site mostrará os locais mais próximos a você. Fácil, rápido e ecologicamente correto.

21 outubro, 2010

Queremos compromissos ambientais sérios!


A consciência de vida em sociedade em harmonia com o meio ambiente está se tornando cada vez mais presente nos últimos anos, passando ser um dos principais assuntos de líderes políticos, empresariais e a população em geral. E não há momento mais propício aos debates saudáveis e que gerem resultados reais do que as eleições para Presidente da República.

Nossos candidatos se estapeiam no campo religioso e esquecem dos assuntos realmente importantes para a nação. Então nós, eleitores, devemos lembrá-los de suas obrigações e cobrar medidas reais para a preservação dos recursos naturais da nossa nação e diminuição do impacto ambiental do nosso crescente desenvolvimento.

Com isso em mente, a comunidade Avaaz, em parceria com o Greenpeace, organização mundialmente conhecida por sua luta em defesa do meio ambiente, lança a campanha "Dilma e Serra: Queremos compromissos ambientais". Assim, nossos queridos candidatos terão a chance de acordar para a realidade de um país que desmata e destrói, e que não será salvo por orações e discursos em igrejas.

A meta da campanha é conseguir 100 mil assinaturas. Faça você também sua parte e assine aqui a petição. Vamos cobrar posições sérias e que tragam o desenvolvimento sustentável ao Brasil

09 outubro, 2010

Serra e Dilma, candidatos ao Vaticano


A corrida pela Presidência da República chegou ao segundo turno mais cristã do que nunca. Antes pautada por escândalos e quebras de sigilo, agora a disputa é para saber quem é o candidato mais cristão. Soa no mínimo estranha e sem propósito que uma discussão desse nível ainda esteja em voga em pleno século 21.

De um lado, Dilma brada que é a favor da vida e dos valores cristãos. Do outro, Serra evoca deus e diz ser um forte defensor da família. E no meio nós, eleitores, tendo de aguentar tudo isso, apenas olhando os potenciais comandantes deste país vomitando conversa fiada religiosa, esquecendo que o Estado deve ser laico, e que há assuntos mais importantes e de maior interesse à nação a serem tratados pela presidência, e que passam longe de ser o que deus aprova ou deixa de aprovar.

Vivemos em um país com milhões de pessoas de diferentes crenças. Nossa Constituição, aliás, permite que isso seja possível. Então, qual o sentido de um político se colocar como "defensor dos valores cristãos" quando parte da população não segue religiões cristãs, e outra parte nem religião tem? Qual o propósito de abominar o aborto por supostamente ser um "ato pecaminoso e condenado por deus" ao invés de tratá-lo como um problema de saúde pública, quando milhares de mulheres sem recursos financeiros recorrem a clínicas clandestinas para abortar um filho indesejado, fruto da falta de planejamento familiar e da educação deficiente que há anos contamina nosso país?

Serra e Dilma descobriram nesse segundo turno que precisam aparecer indo a igrejas, canais de TV evangélicos e opinar em favor dos religiosos em assuntos que dizem respeito à vida de milhões de pessoas que não precisam de deus, e sim de políticos menos oportunistas, que pensem a favor do país e que estejam dispostos a defender o povo brasileiro, seja ele religioso ou não. Precisamos de respostas, de propostas, de debates. Precisamos seguir o caminho do desenvolvimento, do fim da pobreza, da melhoria da saúde, da segurança e da infraestrutura. E isso só é possível com políticas públicas sérias, e não com leitura da bíblia e sessões de descarrego.

06 outubro, 2010

Agressão dos sem razão

A agressão, seja ela física ou verbal, é a resposta de quem não tem razão. Quando a pessoa não encontra argumentos plausíveis para rebater alguma crítica que a desagradou ela parte para os insultos e os ataques deliberados, na tentativa inútil de desqualificar seus "inimigos".

Podemos ver essa tática sendo largamente utilizada por Lula e seus companheiros do PT. A cada nova reportagem com revelações do submundo do seu Governo, nosso Presidente ataca, insulta e ameaça a imprensa, na tentativa de transformá-la no "vilão-capitalista-golpista-imperialista". E essa tática de desespero também está sendo muito utilizada contra mim pelos meus ex-colegas de trabalho, na tentativa de desmerecer o texto "Moralidade, orgulho e outras histórias", no qual falo sobre o funcionamento da Secretaria de Economia e Planejamento, meu local de trabalho por quase dois anos.

Entre insultos, inverdades e erros primários da língua portuguesa, essas pessoas, a quem outrora depositei confiança e amizade, me julgam incapaz de dizer as verdades que descobri enquanto compartilhamos o mesmo local de trabalho. E ainda me julgam incapaz de pensar sozinho. Alguns deles dizem que tudo não passou de "articulação maniqueísta" de terceiros, pois sou "imaturo demais e não possuo escolaridade suficiente para ter as opiniões que tenho". Mas acredito que eu, um ser pensante, livre e não alienado, tenho total capacidade de discernimento entre o certo e o errado, ao contrário de muitos dos meus ex-colegas, que deixam suas limitações éticas, morais e mentais interferirem em seus julgamentos.

Aqueles que me condenam por manter firme minhas opiniões são pessoas facilmente influenciadas por favores, garantias de emprego e pelas promessas de fazer parte do "grupinho do chefe". No setor público, e em especial na Secretaria de Planejamento, é assim: "você faz o que eu quero e deixo você fazer parte do meu círculo de puxa-sacos". Daí a explicação para surgirem aqui no blog tantos comentários mal intencionados e sem qualquer propósito válido.

Pessoas sem personalidade, sem coragem, com muito espaço vazio na cabeça e que apenas absorvem as opiniões alheias, são dignas de pena. Pena por serem pessoas com grande potencial para fazer maravilhas no meio em que trabalham, mas que se tornam inúteis por deixarem sua capacidade ser ofuscada pela ignorância e inércia.

25 setembro, 2010

O melhor (?) do Brasil


Um dos programas de maior sucesso da TV Record, "O Melhor do Brasil" é a mistura de tudo o que há de pior na TV brasileira, apostando tudo no grande apelo popularesco. Então entendemos como é possível o sucesso que tal programa faz nas tardes de sábado. (continue lendo...)

23 setembro, 2010

Para não ficar pior do que está



Falta pouco para as eleições e pelo visto muita gente ainda desconhece em quem votar, ou pior, desconhece até o candidato que escolheu. Para evitar que isso continue acontecendo foi criado o Extrato Parlamentar, site que reuni todas as informações sobre a atuação dos nossos deputados no Congresso Nacional, e nos indica, baseando-se em um questionário que devemos responder, quais parlamentares estão mais afinados com nossos interesses e opiniões.

O Extrato Parlamentar é um saudável exercício da cidadania, indicado a todos que prezam pelo bom funcionamento do Congresso Nacional e que não acreditam na teoria de que pior do que está não pode ficar.

22 setembro, 2010

Pela preservação da cultura



Há em minha rua um imóvel da Prefeitura de Osasco que abrigou por vários anos o posto de saúde do bairro. Após a mudança do posto para um novo imóvel, maior e mais novo, o antigo foi largado às traças. Inúmeros contatos foram feitos por mim com a Prefeitura e algumas secretarias pedindo, quase implorando, por uma nova utilização para o imóvel. Até que finalmente fui atendido pela Secretaria de Cultura, que se interessou por uma de minhas ideias, implantando no local, no ano de 2008, um Bolsão de Cultura, oferecendo cursos gratuitos para toda a população, que há anos estava carente de equipamentos públicos de qualidade voltados à cultura.

Mas o que era bom durou pouco, muito pouco. Após algum tempo de funcionamento o Bolsão simplesmente foi fechado. A resposta dada fora a de que tiveram "problemas" com os administradores. E agora, o problema é de todos nós, que não temos mais o local onde podíamos aprender um pouco mais de arte.

Tentei por diversas vezes entrar em contato com a Secretaria de Cultura para tentar entender o problema, mas o que no começo foi um atendimento amigável e atencioso, tornou-se um completo descaso, falta de respeito e pouca importância. Não tive nenhum dos meus e-mails respondido desde que o Bolsão parou de funcionar.

E para piorar ainda mais a situação, corre a boca pequena que alguns moradores [católicos] pretendem pedir que a Prefeitura doe o imóvel do Bolsão para que ali façam a igreja que começou a tomar forma entre eles. Mas acredito que entre uma igreja católica e um ponto cultural, o segundo seja mais útil ao bairro e a todos os moradores, sejam eles católicos, protestantes, ou umbandistas. Não é correto cercear o direito de uma parte da população de ter acesso à cultura apenas para favorecer a vontade de alguns poucos de terem um local para praticar sua religião.

Osasco necessita de mais cultura, mais música, mais arte. E um bem público ser dado a igreja, seja ela de qual religião for, é, além de crime, um completo desrespeito a liberdade religiosa e a um patrimônio que é de todos.

19 setembro, 2010

O trabalho enlouquece o homem


Qual o propósito da vida de uma pessoa que tem um trabalho sem sentido e mentalmente estafante? E o que dizer dos métodos arcaicos com que as empresas tentam domar seus funcionários, com memorandos inúteis e regras que em nada acrescentam ao trabalho ou à existência da empresa? O que realmente define "trabalho" e "felicidade"? Essas duas coisas realmente não podem coexistir? É errado não se sentir feliz com o trabalho que obviamente não lhe traz felicidade?

No texto "Trabalho sem sentido" expressei minha total indignação em relação à rotina que nos forçam a seguir e os trabalhos sem qualquer sentido lógico aceitável que nos forçam a fazer, utilizando a simplória desculpa de que "Trabalho é isso!". Mas afinal, qual o problema de um ser humano comum querer para si algo gratificante e edificante, que vá muito além do salário no fim do mês? Essas questões são tratadas pelo diretor e roteirista Mike Judge (criador da série animada da MTV "Beavis and Butt-head"), no filme "Office Space" (no Brasil intitulado "Como Enlouquecer Seu Chefe") de forma cômica, mas não menos realista.

Peter (Ron Livingston) é um cara comum, com rotinas urbanas insuportáveis e desgastantes, um emprego inútil com muitas regras sem sentido, e chefes enfadonhos que tem em sua existência o prazer das empresas em fazer valer suas regrinhas burocráticas arcaicas.

Nesse ambiente altamente hostil à mente humana era de se esperar que numa "segunda-feira de cão" Peter tenha surtado e percebido o quanto de sua vida passou sem que ele tivesse tido a chance de aproveitá-la da melhor forma possível, estando sempre ocupado com sua insuportável rotina. Depois da epifania, Peter passa a pouco se importar com seu emprego, tornando-se um funcionário "relapso" (aos olhos dos chefes), mas feliz. A pouca importância que ele passa a dar às regras da empresa é tanta que, surpresa, começam a vê-lo como um funcionário visionário, com grande capacidade para ocupar um cargo executivo, devido as suas observações realistas do que seria um trabalho gratificante e produtivo.

No meio do seu processo de libertação, Peter conhece a doce e bela Joanna (Jennifer Aniston), uma garçonete que também está infeliz com seu emprego numa lanchonete onde as regras que determinam se um funcionário é bom ou não se limitam a quantos botons ele prega em seu uniforme.

Uma das cenas mais memoráveis do filme acontece quando Peter e seus dois amigos recém-demitidos fazem uma espécie de "ritual de libertação" destruindo a impressora da empresa a chutes, socos e pauladas. Essa cena serviu como uma demonstração do ódio que nutrimos por tanto tempo sob o comando de um sistema empregatício que não nos valoriza, não nos acrescenta e nos trata como robôs. E acredito que milhares de pessoas fantasiam em suas mentes uma cena como aquela.

"Office Space" nos mostra que o modelo que muitas empresas julgam ser o melhor e mais produtivo não passa de um amontoado de conceitos ultrapassados e idiotas, e que, se não forem mudados, levarão seus funcionários ao completo descontentamento, à frustração e à loucura. Esse deveria ser um filme obrigatório aos executivos que pensam ter em suas mãos empresas modernas, agradáveis e ágeis. Bastará a eles assistirem os seis primeiros minutos para constatarem que suas empresas não passam de dinossauros burocráticos.


14 setembro, 2010

Ficha Limpa em perigo


O Ficha Limpa surgiu de uma iniciativa popular para extirpar do cenário político nacional todo aquele lixo que se amontoa há anos em Brasília em forma de bons moços, defensores da pátria e pais e mães dos pobres. Mas alguns políticos, descontentes por terem sido barrados pela nova lei, estão entrando com pedidos de inconstitucionalidade da lei no Supremo Tribunal Federal (STF) e, pasmem, ainda há juízes que dizem apoiar tal interpretação tosca e desrespeitosa com o povo brasileiro.

Para que a decisão do STF seja em favor da moralidade política, mantendo proibidos de participar das eleições já deste ano mais de 200 candidatos corruptos, e colocar para longe do cenário político muitos outros que ainda estão por surgir, devemos mostrar aos juízes, que deveriam defender os nossos direitos, que queremos limpar, exorcizar e desinfetar Brasília, mostrando toda a força popular, assim como foi feito com a mobilização em prol do Ficha Limpa.

Assine aqui a petição ao STF pedindo a validação da lei mais democrática que há no Brasil. A petição será entregue diretamente a Antônio Cézar Peluso, Presidente do STF.

12 setembro, 2010

Dilma goela abaixo


A população brasileira se encontra num certo entorpecimento com toda essa campanha de Dilma Rousseff para a Presidência, não estando mais capacitado para raciocinar adequadamente e perceber os verdadeiros fatos por trás dessa mulher que pretende suceder o Presidente Lula.

"Goela Abaixo" veio para mostrar a todos que veem em Dilma a perfeição política e a única pessoa capaz de promover um futuro melhor para o país fatos reais, documentados e amplamente divulgados pela imprensa nacional, mas que por algum motivo inexplicável sumiram da cabeça do povo e hoje são vistos como "manipulação", "preconceito contra a mulher" e todo aquele blábláblá vomitado por Lula e pelos integrantes do PT nos últimos dias para tentarem justificar o injustificável.

11 setembro, 2010

Meu direito de resposta

Desculpem mas como tem babacas nesse blog, a começar pelo dono. Trabalho no TCE
e nunca vi uma denuncia contra o Planejamento. Além disso é DESNECESSÁRIO fazer
licitação para locação de prédios públicos. Só isso já tira a credibilidade
desse estelionatário chamado Tiago. ALÔ POLICIA FEDERAL!!!! OLHO NELE!!!! quanto
ele está ganhando do pt?? iSSO É CHANTAGEM!!! Vamos meter esse vagabundo na
midia!!!! Vejam o exemplo da EXTORSÃO na Receita Federal!!! Alô Policia
Federal!! Olho nele!!!!!!!!!


Com toda a sutileza de um elefante e um inigualável conhecimento da língua portuguesa, o comentário acima foi deixado por um anônimo no post "Moralidade, orgulho e outras histórias", onde falo sobre minha saída da Secretaria de Economia e Planejamento do Governo do Estado de São Paulo. Como o cidadão levantou suspeitas sobre o que eu disse no texto, quero aqui exercer meu direito de resposta [político no debate mode: on]:

1. Com tantas irregularidades documentadas e divulgadas pela imprensa não deveria levantar suspeitas o Tribunal de Contas do Estado (TCE) não abrir nenhum processo para averiguar e punir os responsáveis pelas obras inexistentes ou pelos cambalachos políticos envolvendo a Secretaria? Um grande exemplo foi o caso com a TV Globo. Após reportagens da TV Record denunciando o roubo de um terreno público ao lado da sede Paulista da TV Globo para transformá-lo em praça privativa, "foi necessária" a mudança de parte da Secretaria para um novo prédio. Coincidência ou não, o novo prédio abrigou os escritórios da TV Globo. O TCE nada fez, e muito menos expressou comentários sobre o caso. Acredito que quem não tenha credibilidade seja o próprio TCE.

2. O prédio onde hoje funciona a sede da Secretaria foi alugado por um valor total de mais de R$ 11 milhões com a desculpa de "ser bem localizado" e próximo ao Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo do Estado, sendo que no centro da Capital há diversos imóveis vazios e muito mais baratos do que o alugado na região da Avenida Paulista, um dos locais mais caros do Brasil.


Será que essa locação teve como principal "motivo" o dono do imóvel, Jorge Miguel Yunes, que é um velho amigo de políticos? Acredito que isso por si só já mostra a irresponsabilidade com o uso do dinheiro público.

Lembrando também que a denúncia foi feita pela Folha de São Paulo, e não por mim, como vocês podem ver através
deste link, devidamente informado no texto "Moralidade, orgulho e outras histórias".

3. Estelionato (Art. 171) Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento.

4. Com uma rápida passada pelos diversos textos do meu blog é fácil constatar que não sou o que chamam de "companheiro" do Presidente Lula e do PT. E acreditem, se eu recebesse algum centavo de qualquer partido que seja jamais teria em meu blog textos criticando a política brasileira, em especial a praticada em meu Estado. Meus textos são escritos tendo como base meu senso crítico, político e ético. O que não agrada a todos, claro, pois cada um tem suas próprias convicções, crenças e pensamentos. A diferença entre essas pessoas e eu é que jamais deixo minhas crenças me cegarem para os fatos. Sugiro a todos que façam o mesmo.

10 setembro, 2010

O desserviço que é Netinho de Paula

Netinho de Paula, candidato pelo PC do B, sonha em representar o Estado de São Paulo no Senado. E dizem as pesquisas que ele é o favorito do povo. Mas acredito que as pessoas que veem em Netinho um ótimo candidato sejam as mesmas pessoas que não leem jornais e não dão importância para o que os políticos fazem com o dinheiro dos nossos impostos.

Esse "homem do povo", o "mano do Lula", apresentou diversos projetos de lei enquanto vereador da cidade de São Paulo que em nada acrescentam ao desenvolvimento e ao fortalecimento daquela cidade. Dentre seus projetos encontramos aberrações inúteis como a criação do "Dia do Combate à Intolerância Religiosa" (PL 206/2009), "Dia do Samba da Laje" (PL 254/2009), "Dia da Sanfona" (PL 728/2009), "Dia do Policial Ferroviário Federal" (PL 182/2010), a criação de mais uma matéria no currículo escolar intitulada "História Geral da África e do Negro no Brasil" (PL 205/2009).

Se devemos escolher um candidato capacitado, com pulso forte e ideias novas e criativas para trazer o desenvolvimento sustentável e mais riquezas ao Estado de São Paulo, porque escolher um candidato como Netinho de Paula, que já mostrou na Câmara paulistana o tamanho de seu discurso dispensável e sua inutilidade ao serviço público? Não podemos dar esse passo para trás e provocar mais um retrocesso na política.

06 setembro, 2010

Moralidade, orgulho e outras histórias



A palavra "exoneração" ganhará nova definição a partir de hoje. A partir deste momento "exoneração" significará liberdade. Liberdade para seguir o que acredito, liberdade para tomar as decisões que acredito serem as melhores para mim.

É de conhecimento de todos o nojo que sinto pelo ambiente político brasileiro e o quanto desprezo o trabalho burocrático e emburrecedor que movimenta a máquina pública. Em meu código de ética está escrito em letras garrafais a busca pelo fim da corrupção denunciando irregularidades com o uso do dinheiro público e o acompanhamento da atuação dos poderes municipal, estadual e federal no que diz respeito ao meu dever como cidadão brasileiro. Posto isso, o que dizer da situação de fazer parte de uma equipe dedicada a maquiar e ludibriar a população com a fantasia de fazer um trabalho sério no trato com o dinheiro público?

Integrei desde fevereiro de 2009 a equipe de auditoria de contas públicas da Secretaria de Estado de Economia e Planejamento do Governo de São Paulo. Meu trabalho consistia em analisar as prestações de contas das Prefeituras Paulistas de obras feitas com recursos estaduais repassados a título de troca de apoio político. Em pouco mais de um ano fui obrigado a ir contra tudo o que anseio em uma sociedade desenvolvida e um Estado forte e transparente. Fui obrigado a aprovar contas de uso do dinheiro público mesmo quando era clara sua ilegalidade. E tudo isso por um salário 5 vezes menor do que deveria ser, tendo em vista a importância da função desempenhada. Vi meu nome escrito em pareceres fajutos aprovando processos fraudulentos.

Numa rápida busca pela Internet encontraremos diversos casos envolvendo a Secretaria de Economia e Planejamento. A mais célebre de todas ficou sendo o episódio em que o Danilo Gentili, repórter do programa "CQC" (Band) apanha de funcionários e do ex-Prefeito da cidade de Analândia, interior do Estado, ao mostrar irregularidades envolvendo uma obra tocada pela Prefeitura. A obra em questão era o sistema de coleta do esgoto da cidade que nunca existiu, mas que teve o dinheiro repassado e suas contas aprovadas pelo Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (DADE), hoje sob o guarda-chuva protetor da Secretaria de Economia e Planejamento. (assista a parte 1 e parte 2 da reportagem).

Na Internet você também encontrará a reportagem do jornalístico matutino "São Paulo no Ar" (TV Record) mostrando uma rua da cidade de Mairiporã, na Grande São Paulo, que nunca viu asfalto, mas que teve dinheiro repassado integralmente para a obra, suas contas foram aprovadas, e consta como concluída pela Prefeitura. A obra teve a verba repassada pelo Fundo Metropolitano de Financiamento e Investimento (FUMEFI), também sob a proteção da Secretaria de Economia e Planejamento.

E o que dizer da descoberta do esquema de fraudes em licitações promovidas pela Prefeitura de Monte Aprazível, também no interior do Estado? A Secretaria de Economia e Planejamento assinou diversos convênios com essa cidade, mas se diz "surpresa" com o caso. É realmente possível uma secretaria com a importância como a do Planejamento não ser capaz de detectar irregularidades em licitações como as encontradas pela polícia e pelo Ministério Público?

Mas daí você pergunta: "Só de escândalos envolvendo obras públicas vive o Planejamento?". Não, caro leitor. Eles também partiram para contratos duvidosos, como o que prevê o aluguel do prédio onde hoje se encontra sua sede por mais mais de R$ 230 mil mensalmente, durante 4 longos anos, sem qualquer tipo de licitação. E como não poderia deixar de ser, pelo contrato serão pagos, no total, mais de R$ 11 milhões a um velho conhecido dos políticos, dono do imóvel.

Não há consciência cívica e política que aguente por muito tempo toda essa imundície que há anos se aloja no poder público. E não há o que fazer para mudar essa situação quando todos ignoram o fato e até lutam para continuar do jeito que está. Manter-se correto no ambiente em que pessoas ganham favores e presentes de políticos como forma de agrado pelo "bom serviço prestado" é desgastante. Muito desgastante. E para conquistar algum cargo com um bom salário nunca é levado em conta se o funcionário se dispõe a desempenhar da melhor forma possível suas funções. Isso é o que menos importa para o Governo. Os quesitos realmente valorizados são parentescos ou uma inegável capacidade de beijar mais bundas no menor tempo possível (chamam isso de "fazer política"). Mas afinal, se meu trabalho em si não será valorizado e sim meu grau sanguínio com alguém importante ou o quanto aguento puxar saco, qual o sentido de continuar trabalhando? Qual o sentido de desempenhar esse trabalho sendo que minha capacidade nunca será reconhecida e valorizada?

Um ano e alguns meses depois, chego a essas conclusões e decido por entregar meu cargo, uma vez que não terei valorizados minha bagagem cultural, meu histórico e muito menos meu senso crítico (diziam que essas coisas são o resultado de minha "imaturidade"). Deixo para trás pouco mais de um ano que poderia ser completamente esquecível, não fosse por pouquíssimas pessoas realmente inesquecíveis. De lá levarei essas poucas e boas amizades, e tentarei esquecer as coisas revoltantes.

Então, a partir de agora, é voltar à estaca zero (se é que eu já não estava lá...) e finalmente encontrar algo que seja gratificante, digno e que valha o esforço.

01 setembro, 2010

10Perguntas


Vamos mostrar nossa opinião e fazer as perguntas que queremos ver os candidatos à Presidência da República respondendo sem a maquiagem marqueteira dos debates televisivos e do horário eleitoral. Chega de engolir a seco os textos bonitinhos e cheios de grandezas e histórias para boi dormir que em nada acrescentam à discussão de propostas para o futuro do país. Acesse o site do 10Perguntas e vote e envie suas perguntas. As 10 melhores serão apresentadas aos candidatos, e suas respostas disponibilizadas no site para avaliação popular.

.

O 10Perguntas é o primeiro fórum brasileiro onde temos espaço livre para enviar perguntas que considerarmos indispensáveis neste momento de extrema importância para o país. É uma ideia baseada na plataforma 10Questions, criada nos Estados Unidos pelo Personal Democracy Fórum com o apoio da gigante da Internet Google e do serviço de vídeos online YouTube para fomentar a discussão política naquele país durante a eleição presidencial de 2008. Agora no Brasil, a iniciativa tem como objetivo aproximar os candidatos das verdadeiras questões que afligem o eleitorado.

22 agosto, 2010

Brasil, um país de aborto e hipocrisia

Atualmente a única discussão sobre o aborto é se o deus cristão, do alto de toda sua magnitude e onipresença, permite ou não "tal ato de atrocidade com a vida do ser humano". Mas as pessoas se fazem de cegas para o que realmente está por trás da decisão que leva a uma mulher optar pelo aborto. Não quero aqui julgar a escolha religiosa de cada um, mas o que não posso deixar de julgar é o tamanho da hipocrisia de um povo que se diz temente a deus e seguidores da bíblia acharem que seus dogmas e preceitos religiosos devem se sobrepor às decisões que só cabem a cidadãos com o direito à liberdade para fazer suas próprias escolhas. Uma crença religiosa qualquer jamais deve ser vista como caminho único a todos os cidadãos de um país democrático e laico.

O aborto não é um tema polêmico apenas pelo fato de envolver a interrupção de vidas. O aborto causa discussões intensas apenas por se tratar de um ato que o povo cristão diz ser contra as "leis" de seu deus. Mas afinal, porque todos devem seguir as "leis" de algo que nem todos acreditam? Por que condenar mulheres carentes que, não tendo o poder aquisitivo das mulheres das classes A e B, que podem procurar clínicas chiques em bairros nobres, procuram curandeiras ou parteiras para realizar o aborto, correndo o risco de morrer em decorrência de complicações? Seria esse o desejo de deus? A morte de mulheres que não podem ter acesso ao atendimento médico de qualidade e à educação não pode ser visto como uma afronta à religião.

O Governo de um país onde a curetagem, procedimento pós-aborto, é a cirurgia mais realizada pelo SUS (3,1 milhões entre 1995 e 2007, de acordo com o Ministério da Saúde) tem por obrigação deixar a hipocrisia de lado e abordar o assunto sem preconceitos, passando a tratá-lo como uma das prioridades na saúde pública. E a população tem o direito de ter suas decisões respeitadas, sem o julgamento religioso e a interferência dos desejos de alguns grupos que nada tem com o papel de Governo.

A informação é a maior aliada nesse assunto. Para acabar com preconceitos, informar melhor a população e derrubar tudo o que grupos religiosos tentam disseminar na mente do povo, foi criado o site Aborto em Debate. Um espaço para a livre discussão e para encontrar tudo o que você precisa saber para fugir do senso comum e formar sua própria opinião sobre o aborto.

17 agosto, 2010

Piada do funcionalismo público

Recebi por e-mail um pequeno conto bobo em forma de piada, mas que fala sobre a maior verdade que ronda o funcionalismo público.


O cara termina o segundo grau e não tem vontade de fazer uma faculdade.

O pai, meio mão de ferro, dá um apertão:

- Ahhh, não quer estudar? Bem, perfeito. Vadio dentro de casa eu não mantenho, então vai trabalhar...

O velho, que tem muitos amigos, fala com um deles, que fala com outro até que ele consegue uma audiência com um político que foi seu colega lá na época de muito tempo atrás:

- Rodriguez! Meu velho amigo! Tu lembra do meu filho? Pois é, terminou o segundo grau e anda meio à toa, não quer estudar. Será que tu não consegue nada pro rapaz não ficar em casa vagabundeando?

Aos 3 dias, Rodriguez liga:

- Zé, já tenho. Assessor na Comissão de Saúde no Congresso, R$ 9.000,00 por mês, pra começar.

- Tu tá loco! O guri recém terminou o colégio, não vai querer estudar mais, consegue algo mais abaixo...

Dois dias depois:

- Zé, secretário de um deputado, salário modesto, R$ 5.000,00, tá bom assim?

- Nããão, Rodriguez, algo com um salário menor, eu quero que o guri tenha vontade de estudar depois... Consegue outra coisa.

- Olha Zé, a única coisa que eu posso conseguir é um carguinho de ajudante de arquivo, alguma coisa de informática, mas aí o salário é uma merreca, R$ 2.800,00 por mês e nada mais...

- Rodriguez, isso não, por favor, alguma coisa de R$ 500,00, R$ 600,00, pra começar.

- Isso é impossível Zé!

- Mas, por quê?!

- Porque esses são por concurso, precisa de título superior, mestrado, currículo, bons antecedentes, experiência prévia... É difícil!

Debate de menininhas

Assim como o primeiro debate para Presidente da República, o debate da quinta-feira passada (12) para Governador de São Paulo deixou muito a desejar. Esperei ansiosamente por uma verdadeira luta de ideias, projetos e confrontamento baseado nos grandes problemas de nosso Estado. Mas o que vi foi um grande encontro para encher linguiça. Ficamos, mais uma vez, sem a oportunidade de encontrar o melhor candidato para entregar nosso voto.

Paulo Skaf, até então meu candidato favorito ao cargo, começou nervoso demais e chutando o português, algo compreensivo já que era sua primeira participação em debates eleitorais. Mas senti falta de um embate de frente com o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin. Faltou a ele ousadia em cobrar explicações mais plausíveis de questões importantes, como transporte público, pedágios e educação.

Aloizio Mercadante optou por seguir a "linha Dilma", mencionando exaustivamente o Presidente Lula e criticando a esmo o governo do PSBD. Seu distanciamento da lógica de um debate o fez se prender a três assuntos – educação, segurança e saúde – repetindo sem parar que o problema das escolas é o crack e que a saúde e a segurança estão péssimas. Mas em momento algum ele nos deu ideias do que pretende fazer para melhorar essas áreas. E ainda me pergunto se ele realmente pensa ser um ótimo projeto instalar câmeras de segurança na porta das escolas para, em suas palavras, "afastar o crack", como se essa fosse a única solução existente para a violência nas escolas públicas. Aliás, o que o PT tem com o crack? Assim como o Mercadante, Dilma Rousseff também gravou em sua mente que esse é o principal – se não único – problema a ser resolvido.

Geraldo Alckmin sempre que perguntado sobre algo espinhoso e polêmico (a menina dos olhos para seus oponentes foi o preço abusivo e o número absurdo de pedágios) saiu pela tangente usando números e vomitando informações para mostrar grandiosidade dos feitos de seu partido no comando do Estado, desviando assim o foco do que realmente importava: por que tantos pedágios? Por que a expansão do metrô é praticamente nula? Por que a educação continua no século passado? Se depender do candidato tucano, nunca saberemos essas respostas.

Mas o brilho da noite foi
Fábio Feldmann, candidato pelo Partido Verde. De fala calma, clara e objetiva, o candidato verde foi o que conseguiu melhor expressar seus ideais, quais serão suas metas para o futuro e qual é sua opinião sobre o momento atual do Estado de São Paulo.

Infelizmente grande parte do que foi vomitado no debate poderá ser aproveitado. Entre alfinetadas, velhas promessas e papo furado de político a certeza que ficou é de que nada mudará nos próximos 100 anos.

14 agosto, 2010

Dilma no "JN"


Só agora assisti a tão falada entrevista da Dilma Rousseff ao "Jornal Nacional", e digo que não achei nada de mais. Tem militante dizendo que o Willian Bonner e a Fátima Bernardes não foram imparciais, mas você reparou que eles não perguntaram nada que não fosse baseado em fatos documentados e de conhecimento público? Achei válido o questionamento sobre as alianças com Sarney e Collor, antigos inimigos declarados do PT, mas muitos disseram que isso foi "desnecessário". Engraçado como os petistas acham "desnecessário" tudo o que não seja bajulação ao Lula e a Dilma...

Mas e o que você pensa sobre a entrevista? Também tem em mente que a TV Globo planeja um golpe contra a candidatura da Dilma e tentará fazer isso mostrando às pessoas como a Dilma se sai mal ao responder coisas simples e espinhosas? Aliás, isso é muito típico dos políticos do PT.

11 agosto, 2010

Para você votar direito

Para melhorar o Brasil não basta votar, é preciso conhecer a fundo as propostas e o histórico político e público de seus candidatos. Nunca é demais saber o grau de instrução, histórico familiar, suas ligações políticas, etc. Tudo é válido para você ter plena certeza de que fará uma ótima escolha, e que colocará no poder políticos dignos da montanha de dinheiro que recebem pelo pouco que fazem.

Pensando nisso, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulga em seu site a lista completa dos candidatos a todos os cargos pretendidos nessa eleição. Lá você tem acesso, dentre outras coisas, à declaração de bens, certidão criminal, prestação de contas de onde vem o dinheiro para a campanha e a situação da candidatura (se foi impugnada ou não). Essas são informações básicas, mas muito importantes para que tenhamos a certeza de que votamos corretamente, depositando nossa preciosa confiança em pessoas que farão bom uso de seus títulos.

E me chamou muito a atenção a quantidade de candidatos que tem como grau de instrução "saber ler e escrever". Um exemplo é o
candidato a Deputado Federal Francisco Everardo Oliveira Silva, mais conhecido por Tiririca. Como se não bastasse não ter declarado nenhum bem em seu nome (onde será que ele usa todo o dinheiro que ganha fazendo idiotices na TV?!), disse ter em caixa mais de R$ 3 milhões para ludibriar a opinião pública tentando nos convencer de que merece, e muito, nosso voto.

A dúvida que me acometeu foi pelo fato de que uma pessoa que tem como grau de instrução "saber ler e escrever" ter conseguido levantar mais de R$ 3 milhões para sua campanha e ainda ter a coragem de nos dizer que não possui nenhum bem. Alguém com tantos doadores realmente pretende trabalhar em prol do desenvolvido do país? A quem ele prestará serviço SE eleito? Quais critérios seus colaboradores tiveram para depositar tanta confiança (e dinheiro) em uma pessoa sem qualquer nível intelectual, cultural e político para exercer qualquer que seja o cargo pretendido?

Temos tantos problemas para serem resolvidos em São Paulo que eleger um cidadão como o Tiririca para nos representar em Brasília tornará ainda pior a situação de nosso Estado. Pessoas como ele não se jogam no meio político por vocação, vontade de mudar o mundo ou não tiveram qualquer "chamado divino". Eles simplesmente querem uma nova fonte de renda mais polpuda, mais fácil e uma vida cheia de benesses à custa dos nossos impostos.

Outro grande fiasco da política em São Paulo é a
Suellem Aline Mendes Silva, conhecida intimamente por "Mulher Pêra". Ela é mais uma daquelas mulheres que as únicas coisas a oferecer são peitos siliconadas e bundas fartas. E, assim como Tiririca, seu grau de instrução não passou do "saber ler e escrever" (tem coisa pior do que estar no mesmo nível do Tiririca?). Seu único bem declarado foi um automóvel Mercedes no valor de R$ 20 mil.

Para a campanha a senhorita de peitos grandes disse ter em seu cofrinho R$ 3 milhões. Mas acredito que a julgar pelo tamanho de seu decote na foto que aparecerá na urna eletrônica, com menos de R$ 100 ela conseguiria o mesmo número de votos. Afinal, peitos e bundas são a grande paixão nacional, atrás apenas de programas dominicais fúteis. Com aquele par de peitões a mostra não há marmanjo sem cérebro que não depositará seu voto (e sua dignidade) nessa mulher que hora se vende como fruta e hora se vende como um pedaço de carne.

Para você não cair no erro de votar em absurdos como esses, acesse o site do TSE e pesquise sobre seu candidato. É um ato simples e rápido, que lhe tomará poucos minutos, mas que ajudará você a fazer a melhor escolha que definirá o futuro de um país inteiro.

O despreparo de Dilma

O grande problema do PT é ver em si mesmo a salvação do mundo, a verdade absoluta. Comportam-se como uma religião, com seus fanáticos prontos a explodir ao menor sinal de pressão popular ou da imprensa. A imprensa, aliás, é sua grande inimiga, que se acha no direito de mostrar ao povo todo tipo de mazela com o bom senso e o dinheiro público. "Como pode esses jornalistas falarem mal da gente e do nosso deus, Lula?!", e "como pode esse povo ingrato dizer que o Brasil tem problemas depois do tanto que fizemos por eles, o tanto de dinheiro que lhe demos com o Bolsa Família?", é o que pensam os fanáticos religiosos petistas.

Dilma Rousseff
não passa de um produto moldado a nove dedos pelo "maravilhoso", "grandioso", "único" e "estupendo" Presidente Lula, o "grande salvador desta nação" que, segundo ele, só pode ser considerado um país de verdade a partir da sua subida ao trono. Agora, para manter a supremacia petista, manter escondidos todas as suas falcatruas, tentam emplacar como a "continuista da salvação" a digníssima Dilma. O problema é que esqueceram do completo despreparo dessa mulher a seguir qualquer carreira que exija o uso de duas habilidades que lhe faltam: falar em público com eloquência e pensar sozinha. E isso ficou muito claro no primeiro debate, transmitido pela Band, e na entrevista ao "Jornal Nacional".

Nos resta então a grande dúvida: o povo continuará comprando a ideia de que essa candidata é mesmo o melhor que pode nos acontecer?

09 agosto, 2010

Esclarecimentos

Algumas pessoas me criticam por falar mal do meu local de trabalho, a Secretaria de Economia e Planejamento do Governo do Estado de São Paulo. Mas o que essas pessoas não percebem é que meus comentários e minha clara indignação pelo modo como funciona esta Secretaria são feitos como cidadão e pagador de impostos. Todos nós temos o direito de saber o que acontece dentro dos órgãos públicos e o dever de cobrar melhorias.

Como funcionário desta Secretaria a pouco mais de um ano pude ver abertamente como funciona o Governo. Aprendi que não importa o partido no comando ou a história política de nossos governantes, o fisiologismo e a pouca importância com o bom andamento do sistema são regras seguidas à risca. A máquina estatal é gorda e lenta para satisfazer o prazer odioso pela burocracia que propicia a corrupção, tornando a transparência do poder público algo para ser visto apenas em livros de contos de fada.

A importância que dou ao ambiente político livre dessa sujeira de politicagem é vista como imaturidade. Dizem que "o Governo é assim", que "sem maracutaias e coleguismos não há política". Acontece que ter esse tipo de pensamento é o que faz ainda existir em nosso país absurdos como Paulo Maluf, "aloprados do PT", mensalão e outros casos mais que ficarão marcados para sempre na história política de terceiro mundo do Brasil. Enquanto as pessoas não acordarem para o que realmente importa e deixar de pensar que política é um caso secundário continuaremos esse país pobre, burro e atrasado.

04 agosto, 2010

Me apresentando mais adequadamente

Cansado de não receber mais convites para entrevistas de emprego decidi dizer aos recrutadores o que penso sobre a odiosa forma como eles selecionam seus candidatos. Abaixo você pode ler minha nova carta de apresentação. Uma nova e direta forma de mostrar às empresas como sou.

E antes que você me critique por ter essa atitude, lhe faço uma pergunta: depois de dois anos sem ligações de empresas acha mesmo que estou me importando se ligam ou não? Até porque, já estou ciente de que não será um texto como o meu que fará eles mudarem de opinião, pois não me querem há um bom tempo.


.

Se me permite, gostaria de fugir da média e escrever minha carta de apresentação de uma forma diferente. Então peço que você pare e pense por um minuto: você está à procura de um funcionário exemplar ou qualquer um que não tenha dívidas?

Digo isso por ter notado que desde o dia em que meu nome foi incluído no rol demoníaco do Serviço de Proteção ao Crédito, o SPC (a sigla mais temida do mundo, depois do HIV), parece que fui abolido de todas as entrevistas para emprego.

Mas afinal, o que vocês, recrutadores, procuram realmente em um futuro funcionário? Quais as qualidades exatas vocês esperam de um candidato? Comprometimento? Responsabilidade? Bom relacionamento interpessoal? Fácil aprendizado? Dinamismo? Então lhes digo que tenho todas essas características, somadas às pequenas peculiaridades de minha personalidade que me fazem ser quem sou. Mas então porque cercear meu direito a um emprego digno e com salário decente pelo único fato de ter o nome "negativado" por um infortúnio do destino? Por que não dar a chance àqueles que realmente querem trabalhar e se livrar de suas dívidas e amarguras e buscar um futuro melhor, com mais felicidade e dinheiro na carteira?

Atualmente sou mais um dentre os milhares de funcionários públicos do Governo do Estado. A falta de oportunidades mais atrativas me forçou a ficar preso a esse emprego para ao menos ter alguns trocados. Sim, alguns trocados, porque as desvantagens de ser um funcionário público superam as vantagens (que, sinceramente, é apenas uma, o famoso "não ser demitido"). Então, antes que você se pergunte "o que diabos esse cara quer na minha empresa se já tem um emprego 'maravilhoso' no Governo?!" sinta-se informado: isso não é vida! Desempenho um papel sujo e indigno àqueles que, como eu, zelam por um ambiente político limpo e humano.

Você pode não acreditar, mas no Governo não há incentivos financeiros aos bons funcionários. Vantagens? Só se for parente. E, infelizmente, não tive a sorte de ter um parente no setor em que trabalho.

Tenho bons planos para quando me livrar do funcionalismo público. Um deles é voltar à faculdade (deixada de lado por problemas urbanos e de saúde). Outro grande plano (o mais importante para mim) é minha saída da casa de meus pais, na cidade de Osasco. Como você deve saber, viver na Grande São Paulo implica morrer no trânsito agonizante e no transporte público deficiente. Preciso de uma vida mais dinâmica, perto dos amigos, do trabalho e das minhas diversões.

Para me conhecer melhor acesse meu blog e o LaskaKumbuka, site de notícias do qual faço parte desde 2006. Veja minhas ideias, meus ideais e como comando minha vida. Assim você terá boas bases para saber o que pensar de mim, que vai muito além da minha vida financeira.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...