05 fevereiro, 2011

Como escrever uma novela

Passo 1: personagens

A novela deverá ser dividida em núcleos: "cômico", "pobre", "rico" e "romântico". Personagens pobres raramente interagem com os personagens ricos, salvo algumas situações. A interação entre pobres e ricos só é mais bem aceita dentro do núcleo "cômico" ou "romântico" (o mocinho e mocinha deverão sempre ser de classes sociais diferentes).
Os personagens do núcleo "cômico" deverão ser sempre caricatos e espalhafatosos. Não esqueça de incluir também personagens polêmicos: a puta do bairro, o viadinho afetado (esse deverá sempre fazer parte do núcleo "cômico"), etc.
E nunca, jamais, em hipótese alguma, esqueça de definir os mocinhos e os vilões, sendo os vilões sempre do núcleo "rico" e o mais caricato possível.
Lembre-se de que os personagens do núcleo "rico" NUNCA trabalham.


Passo 2: local das histórias

As histórias devem se desenrolar em torno de empresas ou cidades interioranas fictícias (se envolver uma empresa numa cidade interiorana melhor ainda). A história principal deve, obrigatoriamente, envolver o núcleo "rico" e "romântico". Qualquer coisa fora desse eixo é pouco aceito pelo público.
Não importa se o personagem é do núcleo "pobre" ou "rico", ele deve sempre morar em casas grandiosas e bonitas.


Passo 3: brigas e intrigas

Se sua novela não tiver brigas entre mulheres por causa de homem ou intrigas amorosas ela dificilmente fará sucesso.
É recomendado ter brigas por poder dentro do núcleo "rico". Caso sua história envolva uma empresa é obrigatório que as brigas sejam de personagens querendo o controle dela.


Passo 4: "merchandising"

Uma coisa muito em voga hoje em dia é o "merchandising", que é a odiosa forma de vender um produto do jeito mais tosco e ridículo possível: no meio da novela, fazendo os personagens pararem tudo o que estão fazendo para falar dos benefícios de determinado produto.
A grande moda do momento é incluir também o chamado "merchandising social", que é a forma que as emissoras arrumaram para tratar de assuntos polêmicos ou delicados, sempre didaticamente, como se o público fosse eternamente imbecil e incapaz de raciocinar sozinho.


Passo 5: enchendo linguiça

A novela deverá ter até 2 festas por mês, no núcleo "pobre" ou "rico". É recomendado que cada festa demore pelo menos 4 capítulos, dando assim a oportunidade de você disfarçar a falta de ideias para continuar a história.
Outra tática muito em voga no momento é encher metade do capítulo com cenas aéreas mostrando as paisagens, ou colocar os personagens do núcleo "romântico" em cenas em que ficam por vários e intermináveis minutos pensando na pessoa amada (recomenda-se essas cenas para momentos de choro).


Passo 6: diálogos enfadonhos

Tendo em mente que seu público é um pouco preguiçoso coloque os personagens explicando ao máximo possível o que está acontecendo na história. Quanto mais explicadinho mais o público será receptivo.
Não poupe conversa fiada. Quanto mais os diálogos entre os personagens forem cheios de frivolidades, inutilidades e papo meia-boca menos trabalho você terá para pensar no que escrever para o resto do roteiro.


Passo 7: morte do vilão

Não importando qual rumo a história leve, você deverá escolher 2 possíveis fins para o vilão: morrer (em um acidente ou assassinado) ou fugir para a Europa.


Passo 8: casamentos e finais felizes

Todos os núcleos deverão ter casamentos. Essa é uma regra mais do que obrigatória, não esquecendo que o casamento principal é o do núcleo "romântico", do mocinho com a mocinha. Esse casamento deverá sempre encerrar o último capítulo.
Nenhum personagem de nenhum núcleo (exceto os vilões) deverá ficar sem um final feliz.


Pronto, seguindo essas dicas você estará no caminho certo para escrever a próxima novela das 8.

9 comentários:

Igo Araujo disse...

eeh! essa é a receita básica. algumas produções às vezes fogem de uma ou outra regra, mas a pequenez intelectual é essa aí mesmo.

o interessante de se fazer comunicação social é que vc compreende porque as novelas são feitas com tão pouco conteúdo =DD

abçs

ps.: mudei meu blog. o novo link é http://arcano-treze.blogspot.com/

K. disse...

querendo resgatar a revista BUNDAS... ou melhor, o PASQUIM (não o pseudoator da globo, claro)...
rs

Ewan Pallottini disse...

Isso tudo é inveja por que você não passou naquele teste pra Malhação em 2004, Thi?

Hahaha Tô brincando.

Tá bem legal, adorei! Realmente é a base para qualquer novela das 8.

Maicom disse...

Certo. Os valores (e me refiro a valores econômicos) que as novelas brasileiras têm, hoje em dia, são expressivamente altos. A qualidade não é o grande problema. Algumas até que merecem certas notoriedades. Tanto o é, que fazem sucesso por aqui. Que a grande massa não nos 'ouça', mas há mais gente preocupada em responder a perguntas do tipo, 'Quem matou Thaís?' ou 'O Que Querem As Mulheres?', que, de fato, com a nossa economia 'ascendente'.

daniel vega disse...

na seção "enchendo linguiça" você esqueceu de citar os longos flashbacks acompanhados de expressões profundas para o nada.
flashbacks que geralmente contemplam cenas do longínquo capítulo do dia anterior.

L. disse...

Ja me considero um Gilberto Braga agora. Obrigada.

Lívia disse...

Muito bom! Se nada der certo, viro escritora de novela =D

george araújo disse...

muito bom!
pq não existe pobre ruim e viadinho sério.
vilão no Brasil não é preso pq eles são 'ryyyyyycos' e final feliz é sempre alguém terminar com alguém; é impossível ser feliz sozinho...

abraços
>>

Guss disse...

Até dói assumir que isso é a mais pura verdade. Fico até pseudo feliz em saber que a Globo, por exemplo, está investindo em algumas (poucas) minisséries que fogem dessa rotina, mas ainda está beeem longe de ser uma obra de arte.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...