17 março, 2011

Quem precisa de trem-bala?

O trem-balada acabará com essa cena?
Nessa semana o Ministério Público Federal de Brasília questionou a licitação do famigerado trem-bala tupiniquim, pedindo sua imediata suspensão. Não, o questionamento não foi se é realmente necessário gastar tantos bilhões (mais de R$ 60 bilhões, para ser mais exato) em um único meio de transporte em um país cuja infraestrutura dos grandes centros urbanos (em especial São Paulo e Rio de Janeiro) beira o colapso por pura e completa incompetência governamental. Para quem esperava um questionamento moral e ético ficará decepcionado, pois o MPF/DF foi puramente técnico, referindo-se somente a algumas inconsistências na licitação.

Você que passa 2 horas no transporte público ou parado no congestionamento, saiba que o trem-bala é tratado como prioridade pela administração petista, que até o momento não demonstrou sinais de desistência desse que promete ser um dos maiores e mais caros elefantes brancos já vistos em solo brasileiro. E há duas razões para toda essa persistência. A primeira delas é a propaganda. A entrega de uma obra faraônica sempre foi o desejo dos nossos políticos. A massa gosta, a massa aplaude, a massa delira, e depois, a massa vota. A segunda razão é a financeira. Afinal, as empreiteiras precisam sacar os lucros dos investimentos na campanha eleitoral. E nada melhor do que uma gigantesca e bilionária obra faraônica.

R$ 60 bilhões em linhas de metrô diminuiria os congestionamentos
Quando ainda Presidente Lula tentou justificar o aporte de tantos bilhões de reais numa obra incerta dizendo que "o Brasil precisa perder o complexo de vira-lata" (seja lá o que um trem-bala tem a ver com isso). Na cabeça megalomaníaca do nosso ex-governante se países ricos possuem trens de alta velocidade, então o Brasil tem a obrigação moral de ter também, afinal, "não somos mais pobres". E para satisfazer seu ego insaciável seus pares evitaram lhe dizer o quanto o Brasil precisa evoluir para chegar ao ponto em que poderemos gastar tempo e dinheiro com extravagâncias. Também evitaram contar o quanto nossos aeroportos estão abandonados e o quanto o transporte público nas regiões metropolitanas está caótico.

Eles precisam de trem-bala?

Atualmente o Brasil conta com pouco mais de 29 mil quilômetros de trilhos, enquanto a malha americana ultrapassa os 220 mil quilômetros. É ingenuidade pensar que construindo uma única linha moderna e cara compensará décadas de verdadeiro abandono da malha ferroviária e todos os problemas do país em infraestrutura serão resolvidos. No transporte das regiões metropolitanas o cenário é ainda pior. Em São Paulo o sistema metroviário conta com míseros 69 quilômetros de trilhos e 60 estações (Nova York possui 468 estações distribuídas em mais de mil quilômetros de trilhos).

Dizem que Dilma Rousseff é mais centrada nas questões administrativas e menos performática do que seu antecessor. Esperamos então que ela dedique um pouco mais de tempo para analisar o projeto do trem-bala e mostre seu lado sensato reconhecendo o quanto essa obra é desnecessária para o nosso país e tenha a decência de dar um destino mais apropriado para os bilhões dos nossos impostos.

3 comentários:

pauloveras disse...

Gostei do seu blog cara. Gostei do seu questionamento. Voltarei mais vezes aqui. Abraços

Raphone disse...

Não sei se você chegou a ver o preço estimado de uma passagem São Paulo-Rio pelo trem bala, mas é uma coisa que está fora dos padrões da realidade, enquanto nós podemos pagar, às vezes, cinquenta reais para ir daqui até lá num transporte igualmente rápido, o avião.

Essa semana comprei uma passagem e peguei VINTE POR CENTO do valor dela em taxa de embarque. Levando em conta que cada um que vai e volta de avião de qualquer lugar para qualquer lugar em voo doméstico pague R$40, quanto o governo, junto à infraero, não arrecada com isso?

E as melhorias que vemos são ínfimas, com greves de controladores aéreos, falta de estrutura em aeroportos e acidentes recorrentes por falta de manutenção das pistas. O aeroporto de Vitória, no Espírito Santo, é uma vergonha, assim como o de Porto Seguro ou o de Navegantes, que recebe uma grande parte de turistas para visitar as praias de Santa Catarina.

Essa semana a Gol ultrapassou a TAM em volume de passageiros. O que não deixa de ser bom, porque eu vi uma explosão de promoções. Porém, em breve, essas operadoras não vão mais suportar a quantidade de passageiros. E as menores, como Azul, Trip, Webjet, Avianca não terão ESPAÇO FÍSICO para receber novos turistas, sejam eles pendulares ou não. Vide que a Azul opera apenas com UM TRECHO pelo aeroporto de Congonhas e os passageiros têm que viajar à Campinas, ou seja, uma viagem dentro da outra.

E ainda assim, pensam em gastar bilhões em um trem que não tem nem data para ficar pronto, só para se mostrar para os hermanos.

Igo Araujo disse...

Dilma decida ou não dedicar tempo e sensatez para re-analizar esse elefante branco, como vc bem definiu, é um projeto que certamente não saíra do papel por anos. É um chamariz de atenção, um desvio, para não olharmos para o lugar que deveríamos. É como um truque de mágica. O mágico atrai o olhar do público para a assistente gostosa, tirando a atenção do truque... só isso.

abçs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...