03 dezembro, 2009

A Salete fala mesmo!

O jornalismo na TV aberta brasileira sempre se limitou a apenas "informar" a população do que está acontecendo pelo país e mundo afora. Mas uma jornalista sempre buscou o caminho inverso, não apenas informando, mas também "ensinando" e dizendo, de forma clara e objetiva, qual era sua opinião em relação aos fatos. Essa grande profissional se chama Salete Lemos, uma das profissionais mais prestigiadas e consagradas do jornalismo brasileiro. Mas, infelizmente, tanto prestígio e coragem não tem espaço na TV aberta, tão acostumada a se calar principalmente diante de situações envolvendo políticos ou interesses privados.

Exatamente por ter essa característica tão única é que Salete Lemos foi demitida dos jornais que apresentou. O último episódio ocorreu após fazer uma crítica aos bancos quando ancorava o principal jornal da TV Cultura. Por pressão da FEBRABAN Salete foi mais uma vez punida por simplesmente falar a verdade.

Atualmente, Salete Lemos apresenta o principal jornal da CNT, uma emissora de segunda, mas que teve coragem suficiente para apostar todas as suas fichas numa profissional de primeira. O jornal é gravado e é precedido por uma horrenda novela mexicana, mas há certa qualidade nas matérias apresentadas e as críticas afiadíssimas dessa que é minha jornalista preferida são sempre imbatíveis.

O "CNT Jornal" vai ao ar de segunda a sexta, sempre às 9h30 da noite (em São Paulo o canal é o 26).

4 comentários:

Naty Dezoti disse...

É sempre um problema quando o jornalista (a maioria, aliás) se venda às emissoras da massa que não podem fazer feio.
Uma pena foi ter visto isso acontecer na Cultura...

Raphone disse...

Pois é, o jornalismo de televisão é feito para prender a atenção das massas e tem bem mais do que o intuito de informar. O real intuito dele é prender a atenção, despertar a curiosidade para dar audiência, audiência para o intervalo comercial.
O jornalista que tá ali é sempre punido pelo que ele faz de errado. Uma notícia na TV chega a ter NOVE SEGUNDOS de duração (isso numa pesquisa realizada em 2000, na semana dos 500 anos) e todas elas são pensadas e encaixadas conforme os patrocinadores, os anunciantes...
Se você, por exemplo, precisa de uma notícia de 40 segundos e faz uma de 55, esses 15 segundos é o tempo do anúncio da Coca Cola. O que é mais fácil pra empresa, perder o anunciante ou demitir o jornalista?
Foi o que, infelizmente, aconteceu com ela. A CNT pode até não ter a estrutura de comportar uma transmissão ao vivo. Mas saiu na vantagem em uma coisa: o jornal é gravado e a edição tá aí prá isso. Eles não vão perder anunciante.

Raphone disse...

Mesmo dizendo tudo isso, eu te digo uma coisa: eu amo televisão. É uma adrenalina incrível entrar no ar. Melhor ainda quando termina e você vê o sucesso.
Dá uma procurada na net a edição do Jornal da Globo no dia do apagão. Se você não se emocionar com a ADRENALINA deles, você vai atuar em outra área.

Rick Galdino disse...

Não consigo desvncular a imagem dela do Jornal que apresentava na Record.

Boris Casoy, Carlos Nascimento e a Salete são os poucos jornalistas que emitem opinião.

Que bom que lembrou dela.

ps: CNT nem é tão ruim assim vai? Tem novela mexicana agora...
haushuasuhas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...