27 agosto, 2009

Alienação geral



A edição de setembro da revista Superinteressante veio com uma reportagem de capa revelando algumas verdades recém descobertas sobre a 2ª Guerra Mundial. Ao ler a revista na sala de aula da universidade uma menina, no auge dos 18 anos (média de idade dos alunos da universidade Anhembi Morumbi) diz a seguinte frase: "Hitler era muito foda! Tudo o que ele fez estava certo". A questionei para tentar entender de onde poderia vir tal pensamento. Fiquei mais aterrorizado ainda ao ouvir de sua própria boca que ela era uma branca pura. Tentei lembra-la de que no Brasil a ideia de uma “raça pura” não existe desde a chegada dos europeus por essas bandas. Mas não adiantou. Para ela apenas o fato de ter a pele branca a faz uma ariana legítima, e consequentemente, superior.

Não nego que vejo em Hitler um personagem importante em nossa história. Daí considerá-lo um símbolo único e idealizador de um dos planos mais "inteligentes" do mundo não me soa estranho, mas estúpido. Mostra o nível de alienação a que uma pessoa se deixa tomar. E é triste saber que uma pessoa tão nova, com muito que aprender e mostrar ao mundo já destila estupidez jurando ser essa uma opinião sensata e única.

Mas o que esperar de uma pessoa que do alto de sua estupidez diz ser contra transporte público por ser utilizado apenas por pobres, que judeus só ajudam judeus e por isso mereceram morrer no holocausto, e que ao fazer trabalhos da faculdade recorre ao papai que, como não poderia deixar de ser, salva a filhinha mimada em todos os momentos?

Não sei por que, mas isso me lembrou a academia da universidade...

5 comentários:

Thiago Almeida disse...

Em meio a tanta cretinice que ouvimos por aí, está soa como mais uma. Porém, este tipo de opinião soa mais como auto-afirmação, do que qualquer outra coisa. Quando alguém não é considerado bom em nada que realiza, cabe a este alguém se auto denominar bom.
Quando eu tinha meus 17/18 anos, odiava a seguinte frase, mas, hoje vejo que faz muito sentido: "- É a idade, isso tudo é fase".


Até, cara!
Mais um ótimo post... Abraços!

Rick Galdino disse...

Eu me lembro de uma reportagem, agora nao sei se foi na Folha ou Veja, onde fez-se uma análise do sangue dos descendentes da familia real brasileira. Eles tinham uma porcentagem de indios e negros em seu DNA.

É estúpido pensar como essa "mocinha". Mas é entendível, qndo recorremos ao link da acadêmia!

Suzan disse...

Boa tarde pessoal!

Eu acredito que nesse caso o fator idade não implica em nada. Vocês já pararam pra pensar a base familiar dessa "mocinha"? Pra ela chegar nessa idade com essa mentalidade, ela já ouviu muito dessas coisas de seus pais, como por exemplo: "filha somos brancos puros", "filha transporte público é pra pobre mesmo", "filha eu mato vc se namorar um negro" e assim vai.
Infelizmente vemos isso em qq lugar do mundo, até pq em qq lugar do mundo "SÓ MIMOS SALVAM", não é mesmo?!!!

Abraço a todos!
Mais uma vez um post magnífico, parabéns!
Beijos

Suzan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Suellen Verçosa disse...

Fico mais impressionada em saber o quanto a mídia realmente influencia, ainda mais aqueles que são de mente vazia e cheios de opiniões formadas por outras pessoas com preconceitos enraizados!

Só me basta ter pena, porque não há remédio para a ignorância!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...