04 setembro, 2007

Decadência da telona


No caderno "Ilustrada" da Folha de São Paulo do dia 12 de julho saiu uma reportagem sobre o sumiço dos telespectadores de filmes nacionais.

Bom, levando-se em conta a qualidade extremamente duvidosa dos filmes nacionais, não é de se espantar que as pessoas não queiram mais gastar R$ 20,00 no ingresso para assisti-los.

Para alguns, a desculpa é de que a classe média não tem mais dinheiro para ir ao cinema. A prova disso seria o vexame dos últimos filmes do Didi (?) e da Xuxa (?!).

Ahn... sem comentários.

Se isso for verdade, qual o motivo então dos recordes de bilheteria de filmes estrangeiros?

De acordo com alguns cineastas e demais profissionais da área, o grande investimento em propaganda de Hollywood faz a grande diferença. Mas, e os anúncios exaustivos durante toda a programação da TV Globo, emissora que alcança quase 100% da população brasileira, e mais os demais meios de comunicação que são usados, igual tal Hollywood? Enfim, não há muita diferença na divulgação.

Outra desculpa é de que as produtoras estão sem dinheiro. A Globo Filmes não investe nada em filmes, né? Aliás, se você prestar bem atenção verá que mais da metade dos filmes nacionais é dela. Talvez seja esse o problema...

Mas no meio de todos esses anti-americanos-pseudo-nacionalistas-fervorosos-metidos a coitadinhos, uma alma, Paulo Morelli, cineasta responsável pelo filme "Cidade dos Homens", que foi lançado em agosto, tem o melhor pensamento de todos (o mesmo que o meu): o cinema brasileiro não dá certo porque tenta fazer três tipos de cinema. O metido a arte, aquele que ninguém vai assistir por ser totalmente fora do contexto cotidiano de uma mente habituada ao "normal". E porque isso? Ora... é arte! Dane-se você!

O outro tipo é aquele mais usado, que eu chamo carinhosamente de "novela na tela grande". Programas de TV e novelas literalmente transpostas para as telas. Sem deixar de faltar as cenas de sexo e nudez gratuitas e outras várias babaquices comuns à "criatividade" brasileira.

O terceiro tipo é o cinema bom. O caminho do meio. A salvação de todos nós. A distância da Globo Filmes e derivados. Exemplos? Ahn... nenhum agora. Não tenho tempo para pensar. Vai demorar até lembrar de um. Ou até alguém produzir um...

6 comentários:

Raphael disse...

Filme brasileiro, atualmente, só em novembro por 2 conto.

Samuel Bryan disse...

tah, eu te disse que eu ia mandar bronca... então te prepara
hahahaha

"sumiço dos telespectadores de filmes nacionais."
a verdade é que nunca o cinema nacional teve um grande público. o cinema é a mais cara das artes visuais. fazer um grande filme custa sempre milhões e nao é so em produção não. sabia que transferir um filme de pelicula pra maquina, editar e refazer a pelicula custa 100 mil dolares por semana? e que o que sistema dolby digital so pode ser feito por uma empresa no mundo com o equipamento mais caro de audio do mercado ja criado? além disso temos o fato mais importante. brasileiro nao cresceu assistindo filme brasileiro. quem vai ao cinema é consumista, consumista é globalizado, o cinema brasileiro é geralmente regionalista, e o publico tem vergonha de ser brasileiro e da sua cultura propria, se é que temos cultura propria, então prefere assistir a cultura pop americana retratada na telona que todo o mundo considera sua cultura globalizada.

"enfim, não há diferença na divulgação"
nao importa o quanto a Globo seja grande, ela NUNCA conseguirá fazer 1 décimo do que Hollywood é capaz de fazer com marketing e publicidade. é uma capacidade que é quase doentia para os parametros que conhecemos.

"outra desculpa é de que as produtoras estão sem dinheiro"
verdade verdadeira. a Bobo quase nao patrocina seus filmes tão divulgados. esses filmes que a bobo faz tanta propaganda sao simplesmente aprovados pela Lei de Incentivo a Cultura que aprova projetos para captação de recursos. o pobre cineasta tem que correr e lutar pelo patrocinio, logico que os globais tem mais facilidade. porem, acredite ou nao, a globo nao gosta de financiar projetos cinematograficos.

"cidade dos homens"
é um lixo como filme!

"o metido a arte"
a verdade é que o cinema brasileiro se divide em dois tipos de cineastas que vivem em crise de metodos, é um tentando descredibilizar o outro por aquilo que faz e como faz... pra mim, essa parte da critica dele nao funciona vindo dele, mas de certo modo ele tem razão

"novela na tela grande"
o lixo do cinema brasileiro. ja assistiu Olga? gostou? é o melhor exemplo desse lixo. porém, é questão de cultura, sabia que em bollywood isso funciona que é uma beleza? lembrando que a India é o pais que mais produz filmes no mundo e que geralmente assiste so seus filmes, descartando ate mesmo a grandes produções norte-americanas

"cinema bom"
acredite, nós temos muito bons sim, inclusive na area documental, que voce nao deve acompanhar muito, mas o Brasil é genial na area documental, o verdadeiro cinema bom do Brasil (porque documentario tambem é cinema sim)
infelizmente esse é o tipo de cinema que voce nao vai ver na Bobo, mas que se ficar ate tarde assistindo a TV Cultura vai ver projetos maravilhosos sim
;]

ps: quer filmes nacionais ficcionais bons? Contra Todos, O Céu de Suely, Nina e por que não O Dia que Meus Pais Sairam de Férias

Redd disse...

eu raramente vejo filme brasileiro exatamente por isso:
cinema brasileiro ou é novela, ou é tosco (vide Xuxa) ou é "cult-alternativo"...

o dia q fizerem um filme brasileiro entretenimento, simplesmente, mas q nao se encaixe na categoria "novela", eu assisto...

Danilo Moreira disse...

O Brasil já produziu filmes maravilhosos como aqueles em preto e branco da Atlantida ou da Cia Cinematografica Vera Cruz, porem dos anos 70 pra cá, tudo reduziu-se a filmes bem vagaba mesmo, com putaria ao extremo (como a Dama do Lotação - 1978) entre outros que eu, em algum tempo na decada de 90, vi reprisar na Band e na Cultura

Hj o Brasil já produz alguns filmes com um pouco mais cara de filme, a diferença é que ainda tem muita carencia tecnologica, porem, como já disseram, os documentários são os melhores. Filme bom q eu considero é o Olga, um q eu esqueci o nome q o Vagner Moura é nordestino e vai tentar a vida no Rio, e sim, Cidade de Deus, pq é um filme que prende a atençao e faz um jogo bacana com a história.

Acho q falta incentivo, e principalmente, as pessoas perderem o preconceito de assistir e ficanciar filmes e produtores brasileiros.

Essa não é a opinião de um cinéfilo ou critico conceituado de cinema, é apenas de alguém que tem um certo ponto de vista de acordo com o que já viu, e só.

Gostei do teu blog.
Abraços!!!

Está convidado a conhecer o meu
-----------------------------------
http://emlinhas.blogspot.com/

EM LINHAS...
Quando as palavras se tornam o nosso mais precioso divã.

Novo texto: Vinte e Dois
-----------------------------------

Bakaboy ˆˆv disse...

ahhh

mort aos...

anti-americanos-pseudo-nacionalistas-fervorosos-metidos a coitadinhos

UAHAUhAU

Jeff McFly disse...

Cara... fiz um post sobre cinema brasileiro lá no arroto. Se quiser dar uma conferida, a vontade.

Mas sossega. Cinema brasileiro (vade retro bobo filmes) tá melhorando. Aguarde Tropa de Elite q, mesmo pirateado, vai ter uma boa bilheteria. Hasta!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...