03 maio, 2009

Virada Cultural 2009


Não sei qual é o problema dos eventos de rua que acontecem na cidade de São Paulo, mas sempre, sempre, são frequentados por pessoas que, obviamente, não tem nada a ver com o evento. São pessoas que já vão com o propósito de tumultuar, arrumar brigas sem o menor motivo e assaltar. Aliás, assaltos foi o que mais vi. Parecia até ser um evento de bandidagem, e não cultural. A cada arrastão feito por moleques de rua e abordagens mais "experientes" por grupos de até 3 pessoas (demonstrando o nível de organização do negócio) eu me perguntava onde estaria a polícia? E quando finalmente encontrava uma viatura lá estavam os policiais jogando conversa fora, enquanto a festa sucumbia na violência.

Não minto que as festas a que fui (show do Marcelo Camelo e pista de trance em frente à Faculdade de Direito da USP) estavam muito boas. Coisas de boa qualidade são resistentes aos acasos das cidades grandes. Mas a sensação de medo dos arrastões, assaltos e de levar uma facada ou tiro junto com a insegurança causada pela falta de mais policiais não me deixou curtir ainda mais o evento. Evento esse que nasceu com a ideia de integrar toda a cidade por meio da cultura, mas que está caindo na insegurança e irresponsabilidade da Polícia Militar e Prefeitura.

Os eventos para grandes públicos estão se acabando. Depois da Parada Gay a Virada Cultural sucumbiu. Daqui poucos anos não teremos mais bons eventos para frequentar, nos restando apenas nos prender em casas noturnas ou festas em salões bem protegidos.

10 comentários:

Thiago Almeida disse...

Concordo plenamente. Estava lá e vi coisas que, apesar de saber que acontece, me deixaram boqueaberto.
Mas, uma coisa é certa. Creio que o propósito da Virada Cultural foi desviado (se é que, desde o inicio, o propósito era este mesmo: Pão e circo). Pois bem, acho que a Virada Cultural, deveria dar mais ênfase ao "Cultural" do que a "Virada". Fazer grandes show pra Inglês ver, não eleva o nível cultural de ninguém. Pelo contrário, acaba gerando violência e roubos. Deveria dar mais ênfase as mostras de cinema (grandes telões exibindo filmes, além de bandas que arrasta multidões); Danças; Peças teatrais; Exposições; Enfim, focar mais no contato direto com a cultura do que promover shows musicais. Lógico, os shows são interessantes, mas, deveria se restringir à dois ou tres palcos, somente. Assim, o policiamento teria um controle maior do público. É, o jeito é crer que eles (as autoridades) irão dar jeito nisso, pois trata-se de um grande e importantíssimo evento para a nossa tão querida São Paulo.

Rick Galdino disse...

Os grandes shows servem para trazer a mídia para o evento, pois as demais atrações (teatro, por ex) pouco chamam a atenção. Eu vi apenas o programa Metrópolis falar algo sobre.

Maicom disse...

Isso acontece em todo canto. Odeio sofrer com tamanha falta de coisas boas para fazer... A insegurança e o medo, claro, cooperam muito para a infelicidade (pelo menos a minha).
___________

Ok! Obrigado.
Sendo assim, voltarei; aproveite e faça o mesmo, quando puder e quiser.

Abração, Thiago.

Thiago Almeida disse...

Sou da área da comunicação e, presumo eu, não devemos ser escravos da mídia. Há consumidores para tudo!
Creio que não há a necessidade de grandes atrações, somente com intuito de gerar retorno midiático, existem meios que sustentam e são sustentados por cultura, propriamente dita.

Imaginem se os organizadores preparassem um grande telão, com som compatível, numa grande avenida? Seria o maior cinema a céu aberto do mundo e isso daria sim abertura na mídia. Poderia citar inúmeras coisas que poderiam ser feita para surtir efeito midiático, cabe as autoridades ter mais cuidado com isso e saber que cultura é melhor que pão e circo.

Cruela Cruel Veneno da Silva disse...

thiago meu filho...
esse é o problema, a virada é um puta evento... porém quem vai assitir não tá nem aí pra isso.

resultado? estraga que quer virar.

a organização também tem culpa. sempre rola um show quebradeira na madrugada, como marcelo d2, cpm 22...

bah

ano que vem vou sugerir o seguinte,

se a virada é cultural faz um entrevista com o povo e veja quem pode frequentar.

chega desse negócio de inclusão social, digital e o escambal.

Samuel Bryan disse...

sinceramente, eu estou muito feliz que eu não tenha pendurado o rim na Caixa Economica Federal pra tentar ir pra Virada Cultural, porque minhas cuecas CK eles não iriam querer, tenho certeza

megaphonne disse...

Virada cultural e outros eventos grandes abertos ao público são eventos que temos que saber selecionar. Você mesmo sabe muito bem que eu não vou para esses lugares, e sabe meus motivos.
Esse ano, a contragosto participei de alguns eventos da Virada. E eu digo uma coisa: foi incrível. O que acontece é que o cidadão deve saber selecionar.

Vinicius Giglioli disse...

Ontem no show do João Bosco e Vinicius aqui em uma cidade próxima, os PM tavam bebendo chop.

de matar

Mutante disse...

esse ano houve um corte na verba destinada a virada cultural, concordo que houve menos polícia e que faltaram lixeiras, por isso decidi que ano que vem só vou em shows que forem no sesc, centro cultural são paulo e teatro municipal (apesar do ocorrido ter me desagradado muito).
mas tb não podemos esquecer que nesses mesmos lugares q citei tem programações grátis ou bem baratinhas em todas as épocas do ano ;)

Mutante disse...

esse ano houve um corte na verba destinada a virada cultural, concordo que houve menos polícia e que faltaram lixeiras, por isso decidi que ano que vem só vou em shows que forem no sesc, centro cultural são paulo e teatro municipal (apesar do ocorrido ter me desagradado muito).
mas tb não podemos esquecer que nesses mesmos lugares q citei tem programações grátis ou bem baratinhas em todas as épocas do ano ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...